terça-feira, 10 de junho de 2008

Plano de aula de Filosofia


Esta aula tem como público alvo alunos do nível médio que não têm muito conhecimento com filosofia.

Link: sumaron7@hotmail.com
FILOSOFIA
PLANO DE AULA DE FILOSOFIA
Esta aula tem como público alvo alunos do Nivel Médio que não têm muito conhecimento com a Filosofia.
TEMA- O que é Filosofia
CONTEÚDO - A Atitude Filosófica: Filosofia e a vida cotidiana- A crítica do mundo cotidiano.
OBJETIVO GERAL
Possibilitar aos alunos um contato direto com um texto filosófico.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS-
-Ilustrar a partir da imagem do prisioneiro que se liberta da caverna, o que vem a ser a atitude filosófica
-Refletir sobre ilusões e preconceitos presentes em nossa sociedade
-Discutir a importância de tentar enxergar para além das aparências,para além daquilo que é comumente aceito como certo, enfim, de desenvolver a consciência crítica.
Introduzir informações sobre Platão, sua época e seu pensamento.
MEDOLOGIA
Verificar conhecimentos prévios dos alunos acerca do que é filosofia
Distribuição dos textos aos alunos
Primeiro momento -Leitura individual e silenciosa do texto
Segundo momento - Leitura colaborativa, ou seja, leitura feita em voz alta por alguns alunos e orientada pelo professor, de modo a facilitar a compreensão do texto. O fato de ter sido escolhida uma versão adaptada também contribui para isto. Neste momento, o objetivo é apenas garantir uma apreensão "objetiva" do texto, uma reconstituição da narrativa, e não ainda sua interpretação. Sendo uma alegoria, o texto trabalha com imagens, pretede-se que a descrição nele presente e os diferentes momentos da narrativa sejam bem identificados. Ao final da leitura, o professor introduz de forma suscinta alguma informação sobre a biografia de Platão e sobre sua época.
Terceiro momento- A turma é dividida em grupo ,pnde cada grupo vai "traduzir" o texto lido em uma outra forma de linguagem:desenho, poesia,música,teatro,cartazes, recortes,etc. Os trabalhos dos grupos serão iniciados em sala, esta é a ocasião de aprofundar a interpretação do texto e a reflexão sobre ele, a partir de questões como: O que significa no texto caverna? O que significa estar acorrentado ? O que significa sair da caverna ? Quem são as pessoas que saem da caverna? Por que o prisioneiro volta a caverna? Neste momento os alunos apresentam sua própria interpretação da Alegoria.
Recursos- Textos, Cartazes ,Recortes.
Avaliação
Processual e contínua através das atividades desenvolvidas em sala de aula
Referências bibliográficas:
ARANHA, M.l.A e MARTINS PLATÃO. A República (adaptação de M.Perini) São Paulo.Acipione,1999
CHAUI< M -Convite a filosofar São Paulo ed Ática, 1997
Anexos:
Alegoria da Caverna
Esta célebre passagem da Repúiblica de Platão, descreve a ascensão do filóso ao conhecimento do bem.Na sua leitura devem ser destacadas as suas implicações morais ,políticas e educativas. A educação, por exemplo, segundo a Alegoria não consiste na memorização de conhecimentos, mas sim em ensinar o aluno a olhar em direção à verdadeira realidade, em ver aquilo que merece ser visto.
Texto-
Das trevas a luz: Platão e a alegoria da Caverna
Platão 9427-347 a.C) . formulou uma história conhecida como alegoria da caverna.Nela, há algumas pessoas que estão lá desde crianças, amarradas pelas pernas e pelo pescoço, de costas para a entrada da caverna, impedidas de saírem dalí.Da luz que vem de fora e que se projeta no fundo da caverna,estas pessoas vêem as sombras de outras pessoas que passavam carregando toda espécie de objetos fora da caverna, estes prisioneiros ainda ouvem o eco dos barulhos que vêm lá de fora, já que lá alguns caminham conversando com outros- os prisioneiros pensam, portanto, que a realidadeé a sombra que vêem e o eco que ouvem.
Estes prisioneiros faziam até concursos e concediam prêmios aos que distinguiam da melhor forma as sombras que eram observadas, aos que conseguiam primeiramente notar quais delas passavam e quais delas passavam acompanhadasde outras e, por fim, até de prever as próximas sombras que passariam.
Se fossem libertados, os prisioneiros continuariam a pensar que as sombras eram, de fato, oque havia de real no mundo; porém caminhariam para fora da caverna e teriam a vista ofuscada,pouco a pouco acostumsriam -se com a luz e conseguiriam a veras imagens deles mesmo projetadas na água, veriam os próprios objetos, veriam a lua e as estrelas. Já acostumados, conseguiriam voltar os olhos ao sol e o veriam, compreendendo enfim que ele seria o autor das projeções que haviam no fundo da caverna.
Ocorreu que um destes prisioneiros soltou-se e caminhou até a entrada da caverna, ele notou, então, que aquelas imagens vistas lá embaixo não passavam das sombras das coisas que estavam fora da caverna e que estas eram a realidade. Encantado com o que viu, ele retornou à caverna, já que sentiu enorme piedade dos seus companheiros de cárcere, contando tudo o que havia visto. Ele sentiu as trevas em seus olhos, já que havia se acostumados a olhar para a verdadeira luz, e tinha muita dificuldade em distinguir as sombras.
Atividades:
Questões paa exploração do texto:
1. O que é uma Alegoria?
2. Qual é o principal tema do texto?
3. quais são as principais etapas no percurso que nele é apresentado?
4.Relacione cada uma das suas etapas com as diferentes formas de realidade/ conhecimento/atitudes face ao verdadeiro conhecimento?
5.Transcreva as frases que no texto de Platão correspondem às suas teorias fundamentais sobre as seguintes temáticas:
- A dualidade de mundos (Inteligível e sensível)
- A contraposição entre formas de conhecimento(saber versus opinião)
- A vocação da alma para o conhecimentodas idéias.




Nenhum comentário: